Categorias
DICAS

11 Dicas para Recolocação Profissional

O desemprego assusta, mas não deve ser motivo para se desesperar. Com um pouco de organização e estratégia, e uma boa dose de dedicação e foco, a recolocação profissional virá naturalmente e mais rápido do que se espera.

O desemprego assusta, mas não deve ser motivo para se desesperar. Com um pouco de organização e estratégia, e uma boa dose de dedicação e foco, a recolocação profissional virá naturalmente e mais rápido do que se espera.

Confira onze ótimas dicas de como se preparar para conseguir um novo emprego:

1. Organize suas finanças

Não ter condições de honrar as contas é a maior preocupação de 9 entre 10 desempregados. Para minimizar esse risco, a primeira coisa a se fazer é listar todos os gastos e passar um pente fino em tudo o que possa eliminado ou pelo menos reduzido. Organize suas finanças de forma racional, e esteja preparado para ficar o máximo de tempo possível sem emprego. Dessa forma, você conseguirá manter a tranquilidade e estabilidade emocional para enfrentar essa fase.

2. Crie uma rotina

Encare o desafio de encontrar um novo emprego como sendo o seu emprego atual. Para isso, determine uma rotina de atividades que o mantenha ocupado. Uma rotina o ajudará a otimizar o tempo livre, diminuir a ansiedade, melhorar o foco, organizar as informações e aumentar a eficiência em todo o processo.

3. Repense sua carreira

Aproveite esta oportunidade para reavaliar sua trajetória profissional até o momento. Os pontos altos podem indicar o caminho a seguir daqui pra frente; os pontos baixos, os caminhos a evitar. Avalie também seus pontos fortes, pontos fracos e valores pessoais para determinar seus objetivos daqui por diante, e trace metas e objetivos profissionais antes de sair disparando o currículo por aí. Para aprofundar no tema, leia o artigo “Método infalível para escolher assertivamente seu novo emprego!”.

4. Atualize seu currículo

Uma vez definido seu objetivo profissional, atualize seu currículo e perfil nas redes sociais. Um bom currículo deve ter no máximo 2 ou 3 páginas, com layout convidativo, e conter informações claras e objetivas. As informações mais relevantes devem ser facilmente localizáveis, tais como formação acadêmica, passagens profissionais e idiomas. Ressalte os principais resultados alcançados através de tópicos e use a linguagem dos recrutadores. O artigo “SEO – Seja encontrado pelos recrutadores” traz dicas essenciais para aumentar a atratividade do seu perfil.

5. Mantenha-se atualizado

Aproveite o tempo livre para reciclar os conhecimentos imprescindíveis ao bom desempenho profissional. Frequentar cursos, palestras e eventos do seu interesse não só aumentará seu networking, como demonstrará que você não esteve “parado” enquanto estava desempregado, que é um profissional dedicado a aprender. Além disso, mantenha-se informado sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo; uma pessoa bem informada sempre causa boa impressão.

6. Tome as rédeas da situação

Se está difícil para você, também está difícil para todos os outros, então não se faça de vítima e mãos à obra. Levante a cabeça, respire fundo e vá atrás do seu sonho, você é o protagonista da sua própria história. Profissionais com atitude positiva passam naturalmente uma boa impressão aos recrutadores e possíveis empregadores.

7. Seja claro, direto e objetivo

Ao ser perguntado por qualidades e defeitos, fuja dos clichês e frases feitas como “meu maior defeito é ser perfeccionista”, “sou workaholic”, “sou ansioso”, “dou meu sangue pela empresa”, “sou pau para toda obra”, “eu visto a camisa” e outras similares. Essas frases causam uma péssima impressão. Ao falar dos pontos fortes, exemplifique com situações reais vivenciadas no passado. Use como exemplos aquelas características que o destacam no mercado de trabalho, aquilo pelo qual você é reconhecido e admirado. Ao falar dos pontos fracos, seja franco e fale também o que está sendo feito para minimizar o possível impacto dos seus pontos fracos na sua carreira.

8. Não minta

Você pode até omitir informações desnecessárias, mas mentir, nunca! Se você foi demitido, não tente uma saída transversal, seja direto e responda simplesmente: fui demitido. Só responda ao que for perguntado, e seja direto e imparcial, nada de falar mal da empresa ou do chefe. Se foi demitido por alguma deficiência ou falha sua, é esperado que você já tenha refletido a respeito para não incorrer no mesmo erro, então exponha a razão com cuidado e diga o que fez (ou está fazendo) para superar esse ponto fraco. Você também deve ser verdadeiro ao falar do seu papel nos projetos, da sua experiência, do seu domínio de ferramentas e idiomas, etc., pois corre o risco de ser desmascarado e, para completar, ser demitido por justa causa.

9. Faça networking e cuide do seu marketing pessoal

“Quem não é visto não é lembrado”? Networking é uma questão de hábito, e este é um dos hábitos mais saudáveis à sua carreira, juntamente com a prática do Marketing Pessoal. As pessoas precisam lembrar-se de você e saber o que você faz e por onde anda. Tenha em mente que, em média, 2/3 das posições de trabalho são fechadas por indicações. Se você anda afastado há muito tempo, vá com calma, não ligue para as pessoas e as coloque contra a parede pedindo ajuda ou emprego. Aproxime-se com cautela, convide para um café, almoço ou happy hour, fale de amenidades, interesse-se pela história e pelo momento do outro. Só então fale sobre seu momento, sobre estar participando de alguns processos seletivos e de que natureza, para que seu contato não se sinta pressionado, mas que tenha motivos para lembrar-se de você caso saiba de alguma oportunidade. Faça tudo isso com sutileza, tenha atitude positiva, fale das suas conquistas sem ser pedante ou exibicionista, para que você possa passar uma boa impressão.

10. Considere oportunidades temporárias

Enquanto estiver buscando emprego, se surgir um projeto por tempo determinado, pense que pode ser uma boa oportunidade para se manter ativo, acumular experiência, conseguir uma renda extra para este período difícil e, acima de tudo, pode ser a chave para sua efetivação.

11. Headhunters, jobhunters e outplacement

Headhunters são contratados pelas empresas para ajudá-las na busca pelos profissionais que necessitam contratar. A vantagem de ter contato com headhunters é que eles poderão te indicar caso estejam trabalhando em oportunidades profissionais no seu perfil. Para atrair a atenção de um headhunter, a melhor estratégia é oferecer a possibilidade de conquistar clientes novos como, por exemplo, ajudando-os a fazer contato com os RHs ou diretores dos seus antigos empregadores, e informando-os sobre as empresas que você sabe que estão com vagas abertas.

Jobhunters são especialistas em ajudar os profissionais na busca por oportunidades, mas não existem empresas de referência neste tipo de trabalho no Brasil, e ainda por cima, existem centenas de picaretas que prometem maravilhas. Tome muito cuidado!

Já o Outplacement é um trabalho mais completo, que ajuda os profissionais em todas as etapas necessárias à sua recolocação, desde o autoconhecimento e definição de objetivos, passando pela preparação, confecção de currículo, simulação de entrevista, etc., podendo inclusive indicá-lo para headhunters e vagas em empresas parceiras. Para saber mais, me escreva.

Sugiro que leia também os seguintes artigos:

Se precisar de apoio, conte comigo!

Um abraço e sucesso!

Hugo Liguori – hugo.liguori@sunrh.com.br

1.104 respostas em “11 Dicas para Recolocação Profissional”